Concreto ou Paver: qual a melhor opção para calçada?

Concreto ou Paver: qual a melhor opção para calçada?

Concreto ou Paver

29.06.2017 | por: Tetracon

Blog

Concreto ou Paver: qual a melhor opção para calçada?

Quando a obra vai se aproximando do fim, chega o momento de fazer os últimos serviços e entre eles está a calçada. Logicamente, enquanto há um tráfego intenso de máquinas e pessoas e descarregamento de materiais, não é uma boa ideia fazer este serviço com o risco de haver retrabalho. E nesse momento surge a dúvida: qual melhor material para calçada? Concreto ou Paver ?

O ideal é que o projeto da calçada já esteja definido desde a fase de planejamento da obra, e assim já possível fazer orçamentos, levantar todos os custos com material e mão-de-obra e estabelecer prazos.

Mas sabe-se também que os projetos mudam, e alguns serviços também mudam no decorrer da construção. E como existem diversas opções de materiais para calçada disponíveis no mercado, fatores como custos, disponibilidade de mão-de-obra e prazos podem alterar as escolhas iniciais de projeto.

Para poder ajudar quem está em dúvidas, seja na fase de projeto ou quem já está próximo da execução, vamos comparar dois dos materiais mais utilizados nas calçadas atualmente: o concreto convencional e o bloco pré-moldado de concreto, conhecido no mercado como paver.

CONHECENDO MELHOR

Concreto Convencional

O concreto é um dos materiais mais versáteis do mundo da construção civil e por isso um dos mais utilizados. Além do uso como elemento estrutural em lajes, vigas e pilares, também é usado em fundações, pisos, alvenaria e elementos não estruturais como tampas, manilhas, e também nas calçadas.

Uma calçada feita com concreto pode ser feita basicamente de duas formas: com o material usinado ou “rodado” em obra. O concreto usinado, do caminhão-betoneira é a opção para grandes panos de concretagem, e reduz significativamente o tempo gasto para a execução, além de ser possível a padronização dos traços.

O concreto rodado na obra é uma opção para calçadas menores, com volumes pequenos de concreto, em que não se justifica financeiramente o uso de concreto usinado. É preciso, contudo, se atentar para que os traços sejam o mais padronizados possível.

A escolha, no final das contas, vai variar de acordo com o tamanho da obra, o orçamento disponível, os prazos para execução e o resultado que se espera obter.

Em linhas gerais, o concreto usinado oferece uma maior padronização para calçada, melhor acabamento, além de ser uma execução mais rápida. A mão-de-obra para esse tipo de serviço é muito disponível e facilmente encontrada, por essa razão é uma boa prática contratar profissionais com experiência a fim de evitar dores de cabeça devido à falhas de execução.

Importante: Juntas de dilatação

Um dos maiores problemas vistos em calçadas de concreto é a presença de fissuras e trincas, que tendem a aumentar com o passar do tempo e com o tráfego contínuo de pedestres. Além do aspecto visual extremamente negativo, o desplacamento do concreto nas calçadas oferece um risco de acidentes para quem está trafegando.

A principal causa das fissuras e trincas é a falha de execução das juntas de dilatação. As juntas são pontos de alívio de tensão, em que o concreto é livre para expansão e contração devido às variações térmicas. Quando essas juntas não são feitas, ou são mal-dimensionadas, as fissuras começam a surgir nos pontos mais críticos e frágeis, como em cantos e encontros de meio-fio.

As juntas podem ser executadas tanto durante a concretagem, prevendo os espaços para dilatação, quanto também através do corte com disco após o período de cura. A espessura e a posição das juntas são definidas pelo engenheiro responsável.

Bloco pré-moldado: Paver

Os pavers são blocos pré-moldados de concreto, que são instalados formando um piso intertravado. Dessa forma, as peças não são aderidas através de argamassa colante, sendo o atrito lateral entre as peças responsável pelo travamento.

O piso intertravado de concreto é capaz de aliar a elevada resistência característica à compressão do concreto, com a capacidade de acompanhar as movimentações térmicas de um pavimento flexível. Isso possibilita uma instalação mais rápida e padronizada, além de dispensar a execução de serviços complementares como juntas de dilatação.

Como em qualquer tipo de pavimento, a preparação da base e leito é muito importante e é fundamental para a qualidade e durabilidade da pavimentação. O terreno deve ser devidamente nivelado, compactado, e as camadas de areia ou pó de brita devem seguir as recomendações de norma.
Também é preciso certificar-se de que os blocos foram produzidos com controle de qualidade, seguindo a norma NBR 9781: Peças de concreto para pavimentação. Neste sentido, as blocos e pavers produzidos de maneira industrializadas são mais indicados, justamente pela possibilidade de padronização, controle de qualidade de agregados, processos de cura, armazenamento e transporte adequado.

Paver dormido x paver prensado: qual é a diferença?

Existem dois tipos de pavers, ou bloquetes de concreto, disponíveis no mercado: um com uma superfície aparentemente mais lisa e um outro com um aspecto mais poroso.

Este produto mais “liso” é chamado de paver dormido, e o seu processo de fabricação segue os demais produtos e elementos de concreto, através de forma, cura e desforma. Durante esse processo, uma nata de cimento é depositada no fundo da forma, resultando neste superfície mais lisa. Contudo, este é um fator negativo, pois é deixa a superfície do paver mais frágil.

O paver vibro-prensado tem um processo de fabricação diferente, através de maquinário industrial específico. O concreto é colocado na forma, a seguir é vibrado e prensado, para ser desformado e seguir para o processo de cura. Este processo garante a uniformidade e maior resistência para o paver.

Outro ponto relevante é que o atrito superficial do paver vibro-prensado promove maior aderência para os veículos trafegarem, sendo este o recomendado por norma para pavimentação de áreas de tráfego de veículos.

CALÇADA DE PAVER OU CONCRETO: QUAL É MELHOR?

Os dois métodos se utilizam do mesmo material: o concreto. Portanto, a grande diferença está na forma de aplicação e como esse material será empregado na sua calçada. Por isso, entender melhor algumas diferenças pode ajudar escolha.

Padronização

A padronização é um ponto muito importante a ser lembrado. No caso de concreto rodado na obra não é possível garantir a uniformidade do concreto. A cada traço feito, as quantidades de areia, água, cimento e brita podem mudar, ainda que pouco, mas o suficiente para que o resultado final do produto seja heterogêneo.

O aspecto visual diferente ao longo da área já um indicativo ruim, contudo o principal problema da falta de padronização do concreto na calçada é que os índices de variação volumétrica podem ficar diferentes.

Isso significa que o concreto pode se dilatar e contrair em proporções diferentes, aumentando as chances de ocorrerem trincas e fissuras.

Esse problema já não acontece se a calçada é feita com blocos pré-moldados ou concreto usinado. Os pavers, especificamente, são produtos industrializados, produzidos com rigoroso controle de qualidade, garantindo assim todas características de desempenho, incluindo a padronização e homogeneidade.

Instalação e serviços complementares

A instalação dos dois de tipos de calçadas é bem diferente. Calçadas de concreto devem ser preparadas, niveladas, e no caso de tráfego intenso de pessoas é necessário armar a estrutura antes da concretagem. O concreto, por si só, tem alta resistência à compressão, porém tem não possui resistências relevantes à tração e flexão. A armadura de aço tem essa função, e por isso o nome concreto armado.

A concretagem deve ser feita, sempre que possível, de maneira ininterrupta, para garantir que o concreto se torne monolítico. Depois da concretagem, é preciso respeitar o período de cura antes de executar qualquer novo serviço complementar, como por exemplo a execução das juntas de dilatação (se elas não foram posicionadas antes da concretagem) e pintura.

Também é preciso esperar um período, normalmente de 3 dias, para a liberação do tráfego em uma calçada de concreto. Este período é necessário para que o concreto consiga atingir os níveis mínimos de resistência característica.

A preparação do solo para instalação de pavers deve respeitar as recomendações da norma e também do fabricante, especialmente em relação a compactação e níveis de rebaixamento do terreno.

São feitas camadas de areia ou pó de brita para depois serem colocados os blocos. O paver não é aderido com argamassa, por isso sua instalação é bem rápida, podendo chegar até a 150m² por dia, dependendo do tamanho e da experiência da equipe de execução.

O contato das peças fazem o intertravamento, e não é necessário a execução de nenhum tipo de junta de dilatação, pois os próprios encontros entre as peças já permitem a movimentação de toda a calçada, evitando assim qualquer tipo de problemas com trincas e fissuras.

Por não utilizar argamassa de assentamento, não há nenhum processo de cura e a calçada já está liberada ao tráfego imediatamente após o término da execução do serviço.

Durabilidade e Manutenção

Ao longo dos anos as estruturas de concreto, especialmente as que estão expostas ao sol, chuva, sujeira e abrasão, tem a tendência de apresentar falhas como pequenas fissuras, desgaste superficial, marcas de infiltração e surgimento de matéria orgânica.

Mesmo com juntas de dilatação executadas, é possível que as movimentações térmicas levem à falhas. Além disso, umidade, surgimento de matéria orgânica como lodo, vegetação, são outros problemas comuns nas calçadas de concreto.

Por isso, é preciso tomar cuidado quando os primeiros sinais de problemas aparecerem, e fazer as manutenções periódicas na calçada. É possível refazer áreas danificadas, e reparos pontuais em calçadas de concreto, contudo há um risco da padronização ser afetada.

As calçadas de paver também demandam manutenção contra o surgimento de matéria orgânica, porém, como já vimos, não sofre com trincas e rachaduras.

Dessa forma, podemos dizer que a durabilidade da calçada de paver é maior, e quando é preciso fazer algum tipo de manutenção (peças soltas) é possível fazer a reposição sem comprometer a padronização da calçada.

Paginações

Paginação é o nome dado às diretrizes que serão seguidas para a instalação de um piso. É um item bastante importante, especialmente para a instalação de pisos em áreas internas, como em cozinhas e banheiros. As paginações, quando bem elaboradas, são responsáveis de realçar a beleza de um revestimento.

De maneira similar, é possível prever diferentes paginações para as peças de piso de intertravado.

Paginação paver - Tetracon

Paginação paver – Tetracon

Esta liberdade de paginações e diferentes combinações de uso são possíveis com os pavers. Contudo, em calçadas feitas com concreto, essa possibilidade fica bastante limitada, sendo quase sempre restrita às próprias juntas de dilatação.

Outro fator interessante, bastante explorado pelos arquitetos, é a possibilidade de utilizar pavers com diferentes colorações na paginação do piso intertravado.

As cores são obtidas através da adição de óxidos inertes, que não interferem nos processos químicos durante a fabricação, e produzem uma coloração permanente e que não é somente uma pintura superficial que vai desbotar ao longo do tempo.

A Tetracon trabalha com pavers de diversas espessuras e cores, produzidos dentro dos mais rigorosos padrões de qualidade e atende a grande Goiânia e região metropolitana. Para tirar todas as suas dúvidas sobre calçadas de paver, entre em contato e agende uma visita!

Voltar

você também pode gostar destes artigos

20.04.2019 | por: Tetracon

Tetracon responde: dúvidas comuns sobre Concreto!

Leia mais
Meio-fio
12.04.2019 | por: Tetracon

Meio-fio de concreto pré-moldado e in-loco

Leia mais
10.04.2019 | por: Tetracon

Como assentar paver?

Leia mais

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Receba novidades e tendências sobre pavers e muito mais, direto no seu email.

VENHA FAZER UMA VISITA

whatsapp logo