s Marisco vira agregado oficial de blocos de cimento | Tetracon Marisco vira agregado oficial de blocos de cimento | Tetracon
SUSTENTABILIDADE: Marisco vira agregado oficial de blocos de cimento

SUSTENTABILIDADE: Marisco vira agregado oficial de blocos de cimento

01.04.2016 | por: Tetracon

Blog

SUSTENTABILIDADE: Marisco vira agregado oficial de blocos de cimento

Um olhar sobre os materiais da construção civil para minimizar o impacto ambiental é uma preocupação latente nos dias de hoje. A baixa emissão de carbono, uso eficiente dos recursos hídricos e sustentabilidade ambiental tornam-se uma mais-valia dentro desse mercado. Dentro dessa proposta o estado de Santa Catarina se destaca como pioneiro na utilização de mariscos, mexilhões e outros moluscos para a fabricação de blocos verdes para a construção ou blocos ecológicos.

O projeto foi contemplado pelo Programa de Inovação das Micro e Pequenas Empresas de Santa Catarina. Além do uso em blocos, as cascas das ostras podem ser usadas na fabricação de outros itens da construção civil, como pisos, ladrilhos e outros revestimentos.

Reaproveitamento ecologicamente correto

O Brasil produz 140 toneladas de lixo por dia, mas apenas dois por cento são reciclados. Por isso a enorme necessidade de reaproveitar o que é jogado fora. Para cada quilo de ostras e mexilhões consumidos, cinco quilos de cascas são jogados descartadas, um lixo que na maioria das vezes acaba voltando para o mar. O acúmulo desses resíduos, principalmente numa região que tem sedimentos lodosos, tem influência direta na fauna e na flora do local que acaba tendo que se readaptar ou acaba por atrair outras espécies animais para a região.

A matéria-prima obtida na produção de moluscos foi conseguida através de um acordo entre a Blocaus e a Fundação do Meio Ambiente do município de Florianópolis.

Processo de fabricação do bloco verde

A prefeitura é responsável por recolher os restos de maricultura e transportá-los para a empresa, onde são armazenados. As casacas passam por um processo de lavagem e dessalinização com o uso de uma betoneira. Após esse processo, são secadas ao sol. Após a secagem as cascas são acondicionadas para o processo de moagem.

As cascas moídas são usadas para fazer blocos de concreto e pavimento. O pó resultante dessa trituração substitui partes dos insumos na fabricação dos blocos como a areia e o cimento, que são grandes vilões do meio ambiente. As conchas moídas representam de vinte a trinta por cento dos blocos.

O tijolo prensado deve atender aos seguintes requisitos: ter estrutura compacta e uniforme, não possuir deformação, rachaduras ou bordas afiadas.

Vantagens do bloco verde

Os blocos verdes são mais resistentes que os blocos de concreto convencionais, mais leves, proporcionam um melhor isolamento acústico e absorvem até seis vezes menos umidade. Os blocos verdes também representam redução do preço total de uma construção: se comparado ao bloco convencional, o bloco verde chega a ser até oitenta por cento mais barato.

Os blocos podem ser usados ​​de várias maneiras, um exemplo é a pavimentação da estrada da Avenida Beira-Mar Norte em Florianópolis.

Matéria prima não deve faltar. Só a região de Santa Catarina responde hoje por cerca de setenta por cento da produção de ostras no país e produziu no ano passado oito toneladas de ostras e mexilhões.

E você? Já conhece o bloco verde? Qual é a sua opinião a respeito deste material? Comente com a gente!

Voltar

você também pode gostar destes artigos

20.04.2019 | por: Tetracon

Tetracon responde: dúvidas comuns sobre Concreto!

Leia mais
Meio-fio
12.04.2019 | por: Tetracon

Meio-fio de concreto pré-moldado e in-loco

Leia mais
10.04.2019 | por: Tetracon

Como assentar paver?

Leia mais

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Receba novidades e tendências sobre pavers e muito mais, direto no seu email.

VENHA FAZER UMA VISITA

whatsapp logo