s Conheça o concreto verde | Tetracon | Referência em pisos intertravados Conheça o concreto verde | Tetracon | Referência em pisos intertravados
Conheça o concreto verde

Conheça o concreto verde

16.02.2016 | por: Tetracon

Blog

Conheça o concreto verde

Com o crescimento da densidade de edifícios nos grandes centros urbanos, hoje podemos dizer que o número de jardins também está em ascensão – literalmente.

Apesar de não ser um conceito totalmente novo, os jardins verticais têm se tornado muito populares nos últimos tempos, principalmente na Europa. Além disso, um grupo de cientistas em uma universidade espanhola estão desenvolvendo um novo tipo de concreto, que é capaz de capturar água da chuva para criar uma parede viva e verde.

O concreto verde

Ao contrário dos sistemas existentes de jardim vertical, que exigem estruturas de apoio complexas, o novo “concreto biológico” suporta o crescimento de organismos em sua própria superfície, de acordo com pesquisadores da Universidade Politécnica da Catalunha, em Barcelona.

O concreto contém uma camada biológica que coleta e armazena a água da chuva, proporcionando um ambiente úmido onde de microalgas, fungos, líquens e musgos podem prosperar, eles explicam em seu relatório.

Uma camada impermeável separa os organismos a partir da parte estrutural interna do concreto, ao passo que uma camada exterior atua em sentido inverso, armazenando a água da chuva e impedindo que ela escape.

O concreto verde também absorve o dióxido de carbono da atmosfera e atua como um material isolante e um regulador térmico, dizem os pesquisadores. O próximo passo é acelerar o processo de modo que a superfície viva desenvolva-se em menos de um ano, acrescentam.

No mundo todo, muitos edifícios já contam paredes vivas, incluindo um prédio de escritórios de musgo em Amiens, França, e um showroom de móveis de São Paulo coberto com vasos cheios de plantas.

O Grupo de Tecnologia de Estruturas da Universidade desenvolveu e patenteou um tipo de concreto biológica que suporta o crescimento natural, acelerado de organismos. O material, que foi projetado para as fachadas de edifícios e outras construções em climas mediterrâneos, oferece vantagens ambientais, térmicas e estéticas em relação a outras soluções de construção semelhantes.

Três camadas de materiais

A fim de obter o concreto biológico, além do pH, outros parâmetros que influenciam a bio receptividade do material têm sido modificados, tal como a porosidade e rugosidade da superfície.

O resultado obtido é um elemento de multicamadas sob a forma de um painel, que, para além de uma camada estrutural, é composta por três outras camadas: a primeira delas é uma camada de impermeabilização situado no topo da camada estrutural, protegendo este último contra possíveis danos causada pela água que escoa. A camada seguinte é a biológica, que suporta a colonização biológica e permite o acúmulo de água se no seu interior.

A camada final é uma camada descontínua de revestimento com uma função de impermeabilização inversa. Esta camada permite a entrada da água da chuva e impede que a mesma escape; desta forma, o fluxo de saída de água é redirecionada para onde possibilitará o crescimento biológico.

Redução de CO2

O novo material, que tem várias aplicações, oferece vantagens ambientais, térmicas e estéticas, de acordo com a equipe de pesquisa liderada por Antonio Aguado e apoiado por Ignacio Segura e Sandra Manso. Do ponto de vista ambiental, o novo concreto absorve e, portanto, reduz o CO2 atmosférico, graças ao seu revestimento biológico.

Ao mesmo tempo, ele tem a capacidade para captar a radiação solar, o que torna possível regular a condutividade térmica no interior dos edifícios, dependendo da temperatura alcançada.

O concreto biológico atua não só como um material isolante e um regulador térmico, mas também como uma alternativa ornamental, uma vez que pode ser utilizado para decorar a fachada de edifícios ou a superfície de construções com acabamentos e tonalidades diferentes ; que foi concebido para a colonização de determinadas áreas com uma variedade de cores, sem a necessidade de cobrir toda a superfície. A ideia é criar uma patina sob a forma de um revestimento ou uma pintura “viva”.

Renovação arquitetônica

O material inovador acaba apresentando a um novo conceito de jardim vertical, não só para construções recentes, mas também para a renovação de edifícios já existentes. Ao contrário dos sistemas de fachada com vegetação e jardins verticais atuais, o novo material suporta o crescimento biológico em sua própria superfície; portanto, as estruturas com suporte complexos não serão necessárias, e é possível escolher a área da fachada para a qual o crescimento biológico será aplicado.

Fachadas com vegetação e jardins verticais dependem de um substrato de planta em algum tipo de recipiente, ou que utilizem culturas que são totalmente independentes de substrato, tais como as culturas hidropónicas. No entanto, eles exigem sistemas complexos ligados à própria construção (camadas de material) ou até mesmo estruturas adjacentes feita de metal ou plástico. Isto pode levar a complicações associadas com cargas adicionais, a redução de luz, ou a redução de espaço em torno do edifício. Com o novo concreto “verde”, os organismos podem crescer diretamente sobre o material multi-camadas.

Você já conhece o conceito de concreto verde? Qual é a sua opinião a respeito deste material? Conte nos comentários!

Voltar

você também pode gostar destes artigos

20.04.2019 | por: Tetracon

Tetracon responde: dúvidas comuns sobre Concreto!

Leia mais
Meio-fio
12.04.2019 | por: Tetracon

Meio-fio de concreto pré-moldado e in-loco

Leia mais
10.04.2019 | por: Tetracon

Como assentar paver?

Leia mais

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Receba novidades e tendências sobre pavers e muito mais, direto no seu email.

VENHA FAZER UMA VISITA

whatsapp logo